quarta-feira, 2 de setembro de 2009

A Morte II


A Morte caminhando em meio à fumaça
Caminhando lentamente por sobre o gélido asfalto -
Repleto de nódoas
Um misto de lágrimas e sangue...
Caminhando de mãos vazias - perplexa -
"Eles já não mais têm almas"
Caminhando por entre montanhas de concreto e tecnologia
O movimento é intenso - sufocante
E no entanto, reina o isolamento
O barulho é estonteante, as luzes ofuscantes
A Morte olha para o céu - cinzento!
Está sempre assim agora
"Não se pode ver o horizonte daqui..."
Por trás deste estranho e tumultuado mundo
Um lugar outrora verde
Repleto das mais belas e variadas formas e espécies
Dá lugar à devastação
Uma mancha negra tingindo o globo!
(Os tempos mudaram...)
As guerras, outrora entre nações
Disputando riquezas e territórios
São agora entre pessoas
(Um contra todos e todos por si! Eis seu lema)
Disputando pelo poder, conforto, status, dinheiro
E tudo aquilo pelo que estão sempre quebrando cabeças!
E Ela apenas os observa - irônica
"Eles não precisam mais de mim"
(A morte está de férias!)
E continua a caminhar lentamente - ela quer ver o horizonte -
Para além das montanhas de concreto
Deixando atrás de si pegadas vermelhas
Na escuridão do gélido asfalto
Pára uma última vez - olha para trás.
Os tempos mudaram...
Mas o pensamento é o mesmo
-Os seres humanos me assombram...-



by.: Seth Van Lorien

5 comentários:

  1. Gostei muito!
    Um tanto sombrio :S
    SHAUSHUAHSA'

    Parabéns pelo blog!
    Beeeijos ;*

    ResponderExcluir
  2. Só acho qa idéia poderia ser mais bem trabalhada. Não entrega o "ouro" e nem deixa transpor q está querendo ser original =)
    abs

    ResponderExcluir
  3. Muito 10

    Eu admiro muito esses contos e histórias. Ficou muito bacana o jeito que você conduziu o conto.

    Parabéns!

    ResponderExcluir
  4. 'Judson, gostei do blog :D To seguindo! Beijo :*

    ResponderExcluir

Faça parte também deste sonho...